Git e auto-crítica

Hoje vou finalmente aprender a usar um sistema de controle de versões. Nos últimos dias me vi enviando atualizações de código por email e tendo que sincronizar o desenvolvimento usando isso. É ridículo né? Eu já planejava aprender o Git a um tempão, mas a falta de um computador próprio tem me obrigado a preparar o ambiente de programação sobre o ambiente de uso doméstico alheio, isso é bem ruim, mas tem sido pior gastar um tempão checando se está tudo sincronizado entre os vários computadores que eu tenho usado para programar (Os de casa e os dos laboratórios do IC).

Eu sempre soube da importância de se aprender a usar um Sistema de Controle de Versões, mas de fato nunca havia precisado tanto antes. Vou aproveitar que tenho de aprender agora e publicar como foi essa experiência aqui.

Escolhi aprender o Git.

Criei uma conta no GitHub, que é “um Serviço de Web Hosting Compartilhado para projetos que usam o controle de versionamento Git.” segundo a Wikipedia Brasil. Acho que é isso aí que quero mesmo.

Como eu disse, uso ambiente doméstico alheio para programar, por isso nada de Linux..

E daí? E daí que sou tenho que usar Windows (que não é o meu sistema preferido quando quero programar) e não posso sair instalando tudo o que quiser pois isso não se faz. Mas vamos lá, não posso evitar de instalar o Git.

Então, deixa eu seguir as instruções daqui: http://help.github.com/win-set-up-git/

*If you don’t already know what Git is, take a crash course.

Ok eu sei o que é, seguindo..

Git baixado e instalado, próximo passo:  Set Up SSH Keys

Ok, feito, hora de criar um novo repo. Jriarei um repositório privado pra um projeto aí.

O QUE?? SÓ PAGANDO? Sim, 7 dólares por mês. Se quiser. 😦 Então vou criar um repositório free (e conseqüentemente, público), pelo menos até eu poder resolver esse problema.

—-

Aprendendo a usar o git, já fiz um tanto de bagunça, quando tentei remover os “untracked files” da lista de commit do git, acabei removendo eles do diretório em que estava trabalhando, ainda bem que tenho backups… Tem que tomar cuidado com o “git clean –d –f”  hehe.

Pra quaisquer dúvidas existe o http://progit.org/book e as mans pages do – – help

Se não entende nada, veja isso aqui, que já me ajudou muito.

Eu demorei muuito pra começar isso e vejam só, nem é um bixo de sete cabeças e agora basta que eu tenha o Git instalado nos ambientes que uso pra ficar tranquilo quanto ao controle das versões. Próximo passo: Aprender a usar o MVC proposto pelo Sencha, depois falo mais sobre isso. Eu já sei que vai ser algo muito compensatório, basta agora que eu já “mate” esse leão antes que eu o precise fazer para depois “matar” um dragão.

Anúncios

Links interessantes e Aplicações de Grafos

Isso aqui vale ouro, se tem alguém lendo isso aqui que não for eu.

Tutoriais do thenewboston:

http://thenewboston.org/tutorials.php

Um segredo pra derrubar ‘qualquer’ site:

http://www.behind-the-enemy-lines.com/2012/04/google-attack-how-i-self-attacked.html

Eu estava lendo o Hacker News e como é de lei, sempre tem algo muito dez, o que eu aprendi hoje foi…

Grafos aplicados como regras para descobrir divisibilidades.

No caso, a divisibilidade por 7, no link que segue aqui, você pode ler o artigo. Mas se você tem preguiça eu resumo:

É assim: dado um número n (por exemplo, n = 128), quero saber se ele é divisível por 7. Então, começando no nó branco lá embaixo, para cada dígito d de n, devo seguir as setas escuras d vezes e então seguir 1 seta branca para cada próximo dígito e repetir o processo, até não ter próximo dígito (aí não deve-se andar uma seta branca). E se zero, não mova.

Caso, no final esteja no nó branco, o número é múltiplo de 7!

Faça o teste aí com n = 128. Agora calcule com n = 133.  🙂

A publicação ficou bem famosa no site e depois o rapaz publicou uma versão melhorada da imagem, que ainda informa o resto (seja onde for que você pare no final de tudo, nesse nó está informado o resto) e deixa a compreensão de como o grafo funciona bem mais clara. Vejam:

Computacionalmente falando, imagino que seja muito mais barato para o computador, se o programador estruturar um grafo dessa forma, quando precisasse conferir a divisibilidade por 7 de um número bem grandão, ao invés de tentar a divisão. Ou talvez não, não tenho certeza.

Seria bem legal, escrever uma aplicação que mostrasse como se checa a divisibilidade por 7 de um número n usando esse método. De qualquer forma esta aí a idéia pra quem quiser.